Afiliados

sábado, 27 de fevereiro de 2016

O que é Educação?

O que é Educação? 
     Educação é um tema muito amplo, podendo compreender diversos conceitos e definições. Através da educação, de diferentes formas,  transmite-se saberes e valores de uma geração a outra. 
Quem nunca ouviu as seguintes frases abaixo?
- Garoto levado, sua mãe não te deu educação?
A professora trabalha educando as crianças.
O príncipe foi educado para substituir o rei.
Que vendedora educada!!
        Quando se fala em educação, dependendo do contexto, fala-se de socialização, delicadeza, gentileza, amabilidade, saber fazer algo, disciplina, aprender, ensinar, etc.
       Segundo o dicionário Michaellis, Educação tem as seguintes  definições: "2 - Aperfeiçoamento das faculdades físicas intelectuais e morais do ser humano; disciplinamento, instrução, ensino. 3 - Processo pelo qual uma função se desenvolve e se aperfeiçoa pelo próprio exercício: Educação musicalprofissional etc. 4 - Formação consciente das novas gerações segundo os ideais de cultura de cada povo. 5 - Civilidade. 6 - Delicadeza. 7 - Cortesia." 
     Para Saviani, a educação é concebida como "produção do saber", pois o homem é capaz de elaborar ideias, possíveis atitudes e uma diversidade de conceitos.
         A educação pode ser formal, não formal ou informal. 
      Libâneo nos ensina que a educação formal é aquele que compreende instâncias de formação, sempre de forma intencional e tem objetivos. Este é um ensino regido por leis.
          A educação informal é aquela que ocorre em espaços na comunidade, nos locais de convívio da pessoa, ex: na família, na igreja, no trabalho, ou seja, através da interação com grupos sociais, onde valores e culturas  são repassados de um para outro. Não é necessariamente intencional, enquanto se interage, se aprende.
          Enquanto que a educação não-formal é aquela voltada mais para quem aprende do que quem ensina, seus interesses, seus tempos e necessidades. Nesta educação é marcante a flexibilidade, a não cobrança, a pessoa está ali porque deseja aprender o que está sendo ensinado e porque naquele momento foi possível estar presente. São exemplos de educação não-formal: as oficinas do Programa Escola aberta do governo Federal; um grupo que se junta periodicamente para estudar para um concurso; cursos voluntários, etc.  Embora possa haver objetivos, planejamentos, intencionalidade, não há a obrigatoriedade existente na educação formal.

Referências bibliográficas:

·         ROMANELLI, Otaíza de O. História da educação no Brasil. 19 ed. Petrópolis: Vozes, 1997.
·         SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, Autores Associados, 2011.
·         http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=educa%E7%E3o
·         GOHN, Maria da GlóriaEducação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval.pol.públ.Educ. [online]. 2006.

domingo, 23 de agosto de 2015

Seu artigo aqui!

Olá!!! Amigos do Blog!!


     O Blog Diário Docente está com uma novidade, agora você pode enviar seus textos para que sejam publicados aqui. 



      Se você é profissional da educação ou se identifica com esta área e gosta de escrever sobre temas voltados para a área educacional, que tal enviar um texto agora mesmo?



   Envie o trabalho para miri.msantos@gmail.com, com seu nome completo, email, endereço de site ou blog (se tiver) e seu texto será analisado e publicado. Não esqueça de colocar seus créditos no texto e de enviar somente textos originais, não copie textos de outros blogs e nem de outras fontes. Plágio é crime! Se você usou outras fontes como consulta, registre em um campo criado no final do texto nomeado como referências. 



Sinalize quando enviar seu texto para o email, escrevendo aqui nos comentários e Bom trabalho!!

A Secretaria Escolar

    A secretaria escolar é um setor muito importante para o funcionamento de uma escola. É um setor que redige, registra, organiza, mantém todos os documentos da Unidade Escolar. Não importa se é uma unidade pública ou privada, de educação infantil, de ensino fundamental, de ensino médio ou universitária, todas as unidades de ensino precisam ter uma secretaria.
   Para que o aluno ingresse  na escola, o primeiro passo é matricular-se na secretaria. Arquivo da vida escolar do aluno, transferências, trancar matrículas, registro de atas e de notas e muitas outras ações burocráticas relacionadas aos alunos, profissionais e do prédio da escola são de responsabilidade de uma secretaria. Tudo passa pela secretaria. 
   Muitos professores e outros profissionais que atuam em uma escola, mas que não tem muito acesso à secretaria da mesma, podem ter dúvidas em relação ao que se faz em uma secretaria.
   Quem trabalha numa secretaria? 
   O secretário escolar, o diretor da escola e os auxiliares administrativos.

   Listo a seguir alguns dos documentos e trabalhos realizados em uma secretaria.


  • Pastas com registros de matrícula.
  • Redige, organiza e atualiza a listagem de alunos.
  • Arquiva as atas de reuniões.
  • Redige boletins e fichas com os resultados das avaliações dos alunos.
  • Escritura livro de transferências.
  • Escritura livro de protocolos.
  • Organiza livro de ponto dos funcionários.
  • Escritura livro de requerimentos.
  • Organiza livro de ofícios recebidos e emitidos.
  • Envia correspondências.
  • Emite declarações, certificados e diplomas.



quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A Educação e a Cidadania

       No atual contexto de globalização neoliberal, onde as desigualdades sociais se acentuam concomitantemente à universalização da escola pública, que se destaca a importância de uma educação que favoreça a questão da formação e preparo para a cidadania já nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Até porque, tornar a escola acessível a todos, que é direito garantido do cidadão, vai muito além de se expandir o número de instituições escolares gratuitas pelo país, ou seja, a escola de direito do cidadão é aquela capaz de atender as suas necessidades e prepará-lo para o exercício da cidadania.  Enfatizo a escola pública, por ser desta que se espera o atendimento educacional da maioria das crianças brasileiras, crianças estas que fazem parte de uma camada social, a qual é negada seus mais básicos direitos, como a própria educação, por exemplo, que se não é negada na garantia do acesso à escola, é negada pelo tipo de educação que essa escola lhe oferece. 
              Logo, oferecer escola para todos, por si só, não garante plenamente exercício de cidadania.  
         Essa escola universalizada precisa acompanhar e promover as transformações sociais, para que através de sua educação possa incluir cidadãos, permitir uma participação social igualitária e equitativa.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Plataforma Moodle


É uma sigla de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Foi criada em 1999 pelo australiano Martin Dougiamas. A Moodle é um  LMS, Learning Management System, ou seja,  um sistema de gestão da aprendizagem que possibilita a publicação de cursos online e outros conteúdos multimídia e que registra todo o acesso do aluno.
Esta é uma plataforma muito interessante, com boa usabilidade e tem grande utilização pelas instituições de ensino e grupos de estudo. 
É um software livre (sob a licença de software livre GNU Public license) que permite baixar, utilizar, copiar, modificar e redistribuir gratuitamente para a criação de cursos "on-line".
A Moodle pode ser instalada em qualquer ambiente que consiga executar a linguagem PHP.
Permite realizar vários tipos de atividades interativas com os alunos, sejam elas assíncronas ou síncronas, com ferramentas de interatividade (bate-papo, fórum, wiki etc.)
É desenvolvido colaborativamente por uma comunidade virtual, que reúne programadores e desenvolvedores de software livre, administradores de sistemas, professores, designers e utilizadores de todo o mundo. Encontra-se disponível em diversos idiomas, inclusive em português.
Muitas instituições adaptam a plataforma aos seus próprios conteúdos,tanto para EaD como cursos presenciais.
Em 2013 foi disponibilizada a versão 2.3 e desde 2014 está disponível para download a mais nova versão estável do Moodle (2.8). 


Acesse a Moodle

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Você é um residente ou visitante?

Estudando sobre tecnologias na aprendizagem, assisti a um vídeo de David White (https://www.youtube.com/watch?v=x9IMObcyKbo) muito interessante, que define, de acordo com a sua utilização da internet e o seu comportamento frente a este uso, os usuários em Visitantes ou Residentes online. 
Segundo estas definições, o Visitante online é aquele que faz seu login em suas contas de e-mail, rede social, blog, mas não está ali para interagir com muitos, na maioria das vezes está online mais por conta do trabalho. Tem pessoas que não gostam nem de se identificar online, eles entram buscam seus interesses e saem sem deixar vestígios. Também podem ser  anônimos ou ter nomes fictícios, podem também se identificar mas o fato é que Visitantes não tem uma personalidade digital.  Seus círculos são fechados e muitas das vezes formados por pessoas do trabalho, da escola ou de algum circulo próximo e bem conhecido. Eles não estão online para interagir com muitas pessoas mostrando suas ideias, seus pensamentos em relação a determinados assuntos, para discutir soluções para sua localidade.  Seriam esses os Visitantes.

Ao contrário do Residente, que tem uma identidade digital, ele vai ao Twitter, Facebook e outras redes informar e se informar, compartilhar utilidades públicas, debater produtivamente, mas sempre se identificando. Todos sabem quem ele é, porque está ali e quais suas convicções. O Residente interage positivamente e com certa frequência.
Aí você pode perguntar: e a segurança? Será que Residentes não correm risco de expor sua identidade? Não. Não é colocar na Web todas as suas informações, seu endereço, seus telefones, não se trata disso. Ter uma identidade digital é revelar quem você é, sua profissão, o que você pensa sobre o que está acontecendo no mundo, o que você tem feito para mudar alguma realidade, interagir com um maior número de pessoas que tenham assuntos afins com você, sobre sua profissão, sobre o o Estado ou País que você mora.

Segundo Eric Stoller em https://www.insidehighered.com/blogs/student-affairs-and-technology/digital-identity-development,  a maneira pela qual nos envolvemos, compartilhamos, promovemos e nos apresentamos online tornou-se uma faceta importante em muitas das nossas vidas. Não é mais vista como algo separado da "vida real", identidade digital de um indivíduo está intrinsecamente ligado à sua identidade global. Desenvolver a capacidade de utilizar os canais de comunicação / interação digital não é sobre a retórica empoeirada de "nativos" versus "imigrantes".

Para entendermos melhor, vamos pensar em uma Praça do Centro de uma cidade turística e muito visitada por pessoas de todos os lugares. 
Nesta praça têm pessoas que estão ali trabalhando, colegas de trabalho  ou de escola se divertindo depois do expediente ou até mesmo na hora do almoço ou lanche, tem pessoas pedindo ajuda para alguma causa importante, mostrando suas artes, sentados nas portas de suas casas, mas tem também àqueles que estão ali para visitar aquela cidade, esses passam sozinhos ou acompanhados dos seus. Eles apenas passam, podem passar várias vezes ali, mas não são dali, não se sabe quem são. Os primeiros podem ser comparados aos Residentes online e os do segundo exemplo aos Visitantes online.

E você? Como tem usado sua internet? De que forma acha melhor usar?

Aqui vai mais um vídeo de White sobre  o assunto:



terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Mooc: você sabe o que é?

Moocs são cursos geralmente gratuitos, via internet, que permitem a participação de uma grande quantidade de estudantes.

Mooc (lê-se muque ou em português: moque) é a abreviação de  Massive Open Online Course.

Com a expansão e consolidação da Educação à Distância, cada vez mais surgem novidades nesta área.

Os Moocs são a versão online daqueles cursos de extensão que são oferecidos na forma presencial por universidades, escolas e outras instituições, com o diferencial de poder matricular um número ilimitado de participantes.

Em 2009, foram organizados os primeiros MOOCs, com base na ideia dos conectivistas.

Conectivismo, segundo definição na Wikipédia, é uma teoria de aprendizagem utilizada em ciência da computação que se baseia na premissa de que o conhecimento existe no mundo ao contrário do que rezam outras Teorias da Aprendizagem que afirmam que simplesmente existe na cabeça de um indivíduo. A Teoria do Conectivismo foi desenvolvida por George Siemens e Stephen Downes.

Eu como adoro aprender, estou sempre matriculada em algum curso e com os Moocs minha vida ficou bem facilitada, assim posso estar matriculada em mais de um curso, os quais posso cursar na minha casa a partir do meu computador.

Mas a participação do Brasil ainda não é tão grande, desta forma você encontrará muito mais cursos em inglês do que na nossa língua portuguesa. 

MAS VALE A PENA!!! Aprender é sempre muito bom. Tem cursos de tudo e para todos os gostos.



Para quem ficou interessado, seguem alguns sites que eu utilizo e que concentram cursos Moocs para você escolher.  Bons estudos!







Mais leituras: